12.1.12

Frei Luís de Sousa


Na abordagem arquitextual de Frei Luís de Sousa devem ser contemplados os conceitos de drama,
drama romântico e tragédia. A primeira categoria tanto pode designar o conceito de modo literário dramático como pressupor uma referência a géneros literários que se desenvolveram a partir do Romantismo: drama histórico, drama sentimental, drama de atualidade, etc. No caso de Frei Luís de Sousa, compreendemos a pertinência destes conceitos ao atentar nos aspetos formais e semânticos da obra. Assim, o conceito de drama designa simultaneamente um quadro comunicacional (atinente à enunciação do modo dramático) e uma classe genérica (o drama como género literário). Quanto à utilização do conceito de tragédia, a obra configura elementos estruturais deste género literário, mesmo se não observam todas as características cultivadas pelos clássicos, como o uso do verso.
Seguindo interpretações históricas sobre a obra, tentemos, então, esboçar o modo de configuração
da tragédia e do drama romântico no Frei Luís de Sousa. Como referem diversos críticos, na senda da primeira interpretação da obra levada a cabo pelo próprio Garrett, no texto da “Memória ao Conservatório Real”, fonte de interpretações posteriores, o Frei Luís de Sousa deve à tragédia as seguintes componentes estruturais: uma fábula trágica, um universo regido por leis superiores (as leis da religião católica e da moral social que substituem a função da mitologia pagã), a presença de personagens trágicas, a consideração da lei das três unidades (unidade de ação, de espaço e de tempo), ainda que contrariando os rígidos preceitos antigos. Quanto aos elementos que situam a obra no drama romântico, refiram-se a problemática nacional que lhe serve de substância temática (o conteúdo textual mais visível sendo a ação opressiva dos governadores de Lisboa sobre nacionalistas como Manuel de Sousa Coutinho) e as motivações de ordem biográfica, relacionadas com o percurso pessoal de Almeida Garrett. (…)
A fortuna de Frei Luís de Sousa tem sido atribuída à qualidade estética da obra, que o escritor logrou
atingir graças a uma realização exemplar da tragédia em combinação com o aproveitamento de ele-mentos do drama romântico. A atmosfera de grande densidade, que mantém o leitor suspenso, re-sulta do tratamento do modo trágico num registo romântico…

Cristina Mello, in O Ensino da Literatura e a Problemática dos Géneros Literários,
Coimbra, Almedina, 1998


A. No início do texto há uma abordagem ao conceito de drama.
1. Explica as interpretações a que este está sujeito.
2. Indica em que aceção pode ser usado esse conceito relativamente a Frei Luís de Sousa.

B. A peça garrettiana configura traços do drama mas também da tragédia.
1. Preenche o esquema seguinte com base no texto.


2. Regista a designação que pode dar-se ao texto garrettiano.