2.1.12

Cartas de Mário de Sá-Carneiro

Paris, 5 Novembro 1912

Querido amigo,

Recebi ontem a tua carta e foi com a alegria que calculas. No entanto lastimei que não fosses mais amplo em pormenores sobre a tua ida para o Brasil, os teus projetos, etc. Eu, quando tenho projetos, sinto sempre necessidade de os comunicar aos meus amigos e estimaria que tu fosses assim. Tive também, ao ver o endereço que me dás, uma sensação de melancolia: somos todos nós que partimos, caminhantes ansiosos dum ideal áureo e enganador... são as nossas almas que se dispersam errantes, uma aqui, outra ali, os nossos corpos que se desenraízam e nadam à toa pela água, tempestuosa para uns, estagnada para outros, como para mim. É este boiar na água estagnada o mais doloroso. Mas enfim, não pensemos mais nestes lamentos. Eu cá vou vivendo, sempre o mesmo, um pouco menos aborrecido, um pouco menos infeliz porque a cidade é maior, maior o movimento, logo mais entorpecedor o ambiente. Nada de importante ou de novo tenho para te contar. Apenas nesta carta faço votos pelas tuas prosperidades e te rogo, encarecidamente te rogo, que escrevas longamente logo que esta recebas dando parte de tua vida, dos teus projetos. Notícias, em suma, da tua alma e do teu corpo. Um grande abraço de alma.

O teu
Sá-Carneiro

in Cartas de Mário de Sá-Carneiro
(leitura, seleção e notas de Arnaldo Saraiva), 1.ª ed., Limiar, 1977



I

1. Assinala, nos dois primeiros períodos, as marcas do remetente e do destinatário.

2. Seleciona, no texto, um adjetivo e um nome que caraterizem a forma como o remetente se sente.

3. Explicita o sentido da metáfora das linhas 9-10 para dar conta do seu estado de espírito.

4. Explica por que razão, no momento da escrita, o remetente está "menos aborrecido" e "menos infeliz".

5. Se o remetente afirma, a certa altura, "Nada de importante ou de novo tenho para te contar.", quais são, então, os objetivos desta carta?

6. Transcreve a frase do texto onde deveria ocorrer a nota que se segue, assinalando, com asterisco (*), o vocábulo em que colocarias a chamada. Nota: Diz-se do líquido que não flui, que forma charco.

7. Atenta, entre outros aspetos, nas formas de tratamento e de despedida e esclarece o tipo de relação que existe entre o remetente e o destinatário da carta.

II

1. Identifica o tipo de ato ilocutório presente nos segmentos transcritos:

a. "No entanto lastimei que não fosses mais amplo em pormenores sobre a tua ida para o Brasil..."

b. "... encarecidamente te rogo, que escrevas longamente... "

2. Substitui os marcadores discursivos "logo" e "em suma" por outros equiva­lentes nos contextos em que ocorrem.

3. "Apenas nesta carta faço votos pelas tuas prosperidades e te rogo, encarecidamente te rogo, que escrevas longamente logo que esta recebas dando parte de tua vida, dos teus projetos. "

3.1. Identifica o antecedente do pronome assinalado.

III

Num texto que tenha entre cem e cento e trinta palavras imagina que és o destinatário da carta de Sá-Carneiro e que ficaste preocupado com a missiva do teu amigo.

Responde-lhe, contando, tal como ele deseja, pormenores acerca dos teus projetos - o que estás a fazer no Brasil, quanto tempo pensas demorar por lá, com quem viajaste, etc. Despede-te, animando-o e prometendo-lhe um encontro para breve.