19.9.11

Arrojos

1. Lê com atenção o poema de Cesário Verde que se segue.

Fantasias do impossível
Arrojos1

Se a minha amada um longo olhar me desse
Dos seus olhos que ferem como espadas,
Eu domaria o mar que se enfurece
E escalaria as nuvens rendilhadas.

Se ela deixasse, extático2 e suspenso
Tomar-lhe as mãos mignonnes3 e aquecê-las,
Eu com um sopro enorme, um sopro imenso
Apagaria o lume das estrelas.

Se aquela que amo mais que a luz do dia,
Me aniquilasse os males taciturnos4,
O brilho dos meus olhos venceria
O clarão dos relâmpagos noturnos.

Se ela quisesse amar, no azul do espaço,
Casando as suas penas com as minhas,
Eu desfaria o sol como desfaço
As bolas de sabão das criancinhas.

Se a Laura5 dos meus loucos desvarios
Fosse menos soberba6 e menos fria,
Eu pararia o curso aos grandes rios
E a terra sob os pés abalaria.

Se aquela por quem já não tenho risos
Me concedesse apenas dois abraços,
Eu subiria aos róseos7 paraísos
E a Lua afogaria nos meus braços.

25 Se ela ouvisse os meus cantos moribundos
E os lamentos das cítaras8 estranhas,
Eu ergueria os vales mais profundos
E abateria as sólidas montanhas.

E se aquela visão da fantasia
Me estreitasse ao peito alvo como arminho9,
Eu nunca, nunca mais me sentaria
Às mesas espelhentas do Martinho10.

VERDE, Cesário, 1988. Obra Completa (org. Joel Serrão).
Lisboa: Livros Horizonte



1. atrevimentos.
2. em êxtase; maravilhado.
3. delicadas; graciosas; pequenas.
4. calados; tristes.
5. a mulher celebrada pelo poeta italiano Petrarca, apresentada como amada inacessível.
6. altiva; arrogante.
7. da cor das rosas; rosados.
8. instrumentos musicais de cordas.
9. animal das regiões polares, de pelo macio e, no inverno, muito branco.
10. café lisboeta.


2. "Arrojos" foi publicado em conjunto com outros dois poemas de Cesário sob o antetítulos comum "Fantasias do Impossível".

2.1. Explicita as relações de sentido que este antetítulo estabelece com o texto.

3. Identifica quatro dos traços que caracterizam a figura feminina, documentando-os com elementos do texto.

4. Indica um dos efeitos de sentido da hipérbole presente nos versos: "Eu com um sopro enorme, um sopro imenso /Apagaria o lume das estreias" (w.7-8).

5. Refere a importância dos dois últimos versos para a interpretação do poema.

6. Analisa a relação do "eu" com a "amada", tal como é expressa no discurso poético.

7. Relê os versos:

a. "Se ela deixasse, extático e suspenso / Tomar-lhe as mãos mignonnes e aquecê-las" (w. 5-6); b. "Apagaria o lume das estrelas." (v.8);

c. "O brilho dos meus olhos venceria" (v. n)

7.1. Redige frases em que empregues:

7.1.1. uma palavra homófona da sublinhada em a.

7.1.2. uma palavra homógrafa da sublinhada em b.

7.1.3. uma palavra homónima da sublinhada em c.

8. Reescreve o verso "Eu pararia o curso aos grandes rios" (v. 19), flexionando o adjetivo no grau superlativo relativo de superioridade.

9. Partindo das palavras apresentadas, elabora frases complexas que integrem as orações subordinadas indicadas.

a. O sujeito poético afirma... (oração subordinada substantiva completiva)

b. Ele hiperboliza o seu amor... (oração subordinada adverbial final)

c. A amada é uma mulher... (oração subordinada adjetiva relativa restritiva)

10. Num texto expositivo-argumentativo bem estruturado, de cem a duzentas palavras, refere os traços para ti mais significativos da representação da mulher na obra de Cesário Verde.

Fundamenta a tua opinião com argumentos que decorram da tua experiência de leitura de poemas deste autor.