1.6.11

Equador

1. Lê, com atenção, as cartas que se seguem.




1.1. Embora tenham sido escritas pelo mesmo remetente, as cartas são substancial­mente diferentes.

1.1.1. Explica porquê, considerando o destinatário (fórmulas de tratamento e de despedida) e o assunto.

1.2. No romance de onde foram extraídas as duas cartas, pode ler-se, a propósito da carta de Luís Bernardo ao seu amigo João:

(...) O João respondeu à sua carta na volta do correio, tal como Luís Bernardo lhe tinha pedido. Porém, não podia vir nesse Verão. O trabalho no escritório não lhe deixava mais do que uma semana de férias nesse Verão, as quais já tinha marcado na Praia da Granja, com hotel reservado e tudo. De qualquer maneira, uma semana não dava sequer para chegar a S. Tomé. Talvez no Natal, escreveu, e acrescentou: "Aguenta-te até lá!" (...)

Miguel Sousa Tavares, Equador, 11.* ed., Oficina do Livro, 2004




1.2.1. Tendo em conta a informação fornecida pelo excerto, redige a carta de resposta de João a Luís Bernardo.

2. Imagina como poderia continuar a carta cujo início reproduzimos:

Caro/Cara XXXX,

O que me fizeste não tem classificação. Pensava que eras um cavalheiro/uma dama incapaz de fazer certas coisas, mas vejo que me enganei. Defraudaste as minhas expetativas.


2.1. Redige o desenvolvimento, especificando o que é que o destinatário terá feito ao remetente, que expetativas terá aquele defraudado - terá sido uma traição de amor ou de amizade, uma desonestidade no trabalho? Elabora a conclusão, explicitando que consequências terá essa atitude na relação de ambos. Não te esqueças de que a fórmula de despedida deverá ser coerente com a forma de tratamento inicial.