6.4.11

A Senhora da Graça

Era uma vez um homem que era casado com uma mulher muito amiga de vinho, a ponto de não deixar parar vinho na adega. Um dia o homem saiu para comprar uns bois e recomendou à mulher que não fosse à adega beber o vinho.
Apenas o homem virou costas, a mulher chamou logo uma comadre e foram ambas para a adega beber o melhor pipo de vinho que encontraram.
O homem, quando voltou para casa e se achou sem vinho, queria bater na mulher; mas ela disse-lhe que não lhe batesse, pois estava inocente, quem tinha bebido o vinho tinha sido a gata.
Como o homem não quisesse acreditar, a mulher disse-lhe: «Pois olha, homem, havemos de ir à Senhora da Graça e havemos de perguntar-lhe quem foi que bebeu o vinho, se fui eu ou a gata; se a Senhora disser que fui eu, hei-de trazer-te às costas para casa e se eu estiver inocente hás-de tu trazer-me a mim.»
Partiu o homem mais a mulher para a Senhora da Graça e, tendo chegado a um sítio onde havia um eco, a mulher disse ao homem «Olha, escusamos de ir mais longe; Nossa Senhora também aqui nos ouve.»
O homem então gritou com toda a força: «Dizei-me, Senhora da Graça, quem bebeu o vinho foi a mulher ou foi a gata?» E o eco respondeu: «A gata!».
Três vezes o homem perguntou o mesmo e três vezes o eco lhe respondeu: «a gata».
O homem então, convencido que a mulher estava inocente, levou-a às costas para casa e matou a gata para ela não lhe ir beber mais vinho.



Responde às perguntas:

1. Quantas e quais as personagens que entram na acção?

2. Localiza a acção no espaço.

3. Localiza a acção no tempo.

4. Quais as acções desta narrativa?