8.3.11

Navio naufragado


Vinha de um mundo
Sonoro, nítido e denso.
E agora o mar o guarda no seu fundo
Silencioso e suspenso.

E um esqueleto branco o capitão,
Branco como as areias,
Tem duas conchas na mão
Tem algas em vez de veias
E uma medusa em vez de coração.

Em seu redor as grutas de mil cores
Tomam formas incertas quase ausentes
E a cor das águas toma a cor das flores
E os animais são mudos, transparentes.

E os corpos espalhados nas areias
Tremem à passagem das sereias,
As sereias leves dos cabelos roxos
Que têm olhos vagos e ausentes
E verdes como os olhos de videntes.


Sophia de Mello Breyner, in Dia do Mar


I

1. Atenta na primeira estrofe.
1.1 Transcreve os vocábulos que descrevem os mundos que se opõem.
1.2 Explícita o seu sentido.

2. «E um esqueleto branco o capitão» (v. 5)
2.1 Mostra que a figura do capitão é poeticamente transfigurada.

3. Selecciona os elementos que caracterizam o fundo do mar.
3.1 Neste contexto, interpreta a presença das sereias, tendo em conta que se inscrevem no domínio do ima¬ginário.

4. Regista do texto uma comparação e uma hipérbole, referindo o seu valor expressivo.

5. Justifica o título do poema.


II

1. Apresenta sinónimos de: «nítido» (v. 2), «suspenso» (v. 4), «espalhados» (v. 14), «videntes» (v. 18).

2. Regista palavras do campo lexical de «mar».

3. Identifica a relação semântica existente entre «corpos» (v. 14) e «olhos» (v. 17).

4. Escreve duas frases em que utilizes palavras homónimas de «guarda» (v. 3) e de «são» (v. 13).

5. Integra na classe e subclasse os vocábulos: «agora» (v. 3), «seu» (v.3), «branco» (v. 5), «duas» (v. 7) e «Que» (v. 17).

6. Refere a função sintáctica dos elementos constituintes do verso «E agora o mar o guarda no seu fundo» (v. 3).

III

Elabora um texto expressivo e criativo, de cem a duzentas palavras, subordinado ao título:
Uma magnífica paisagem.