21.3.11

De tarde



De tarde

Naquele pic-nic de burguesas,
Houve uma coisa simplesmente bela,
E que, sem ter história nem grandezas,
Em todo o caso dava uma aguarela.

Foi quando tu, descendo do burrico,
Foste colher, sem imposturas tolas,
A um granzoal azul de grão-de-bico
Um ramalhete rubro de papoulas.

Pouco depois, em cima duns penhascos,
Nós acampámos, inda o Sol se via;
E houve talhadas de melão, damascos,
E pão-de-ló molhado em malvasia.

Mas, todo púrpuro a sair da renda
Dos teus dois seios como duas rolas,
Era o supremo encanto da merenda
O ramalhete rubro das papoulas!


O Livro de Cesário Verde, Lisboa, 1887

I
A
Apresenta, de forma completa e bem estruturada, as respostas aos itens que se seguem.
1. O poema atrás apresentado é passível de uma divisão tripartida.
1.1. Delimita-o, justificando essa tripartição.
2. No texto poético esboça-se uma estrutura narrativa.
2.1. Explicita a afirmação anterior.
3. O uso de diferentes sensações é apanágio de Cesário Verde.
3.1. Confirma o recurso às sensações visuais, gustativas e táteis.
4. Analisa o poema a nível versificatório.


B

Comenta a afirmação, num texto de oitenta a cento e trinta palavras, baseando-te nos conhecimentos adquiridos sobre Cesário Verde e a sua produção poética.

"Os grandes motivos de inspiração de Cesário aprendeu-os ele na escola da vida e do dia a dia; entraram-lhe na alma através de todos os sentidos e a expressão saiu mais do seu intelecto do que da subordinação às exigências do coração."

In "Considerações introdutórias à vida e à obra de Cesário Verde", 1982, Paisagem Editora


II

Lê, agora, a parte inicial da seguinte reportagem.

Por Isabel Lacerda, 11-11-2010

Na igreja, as pessoas começavam a desesperar. Faltava um dia para as festividades da vila e ninguém sabia do padre. Já o tinham procurado em casa e nos cafés, já lhe tinham ligado para o telefone - mas nada. Estava desaparecido e isso era estranho. Educado no Opus Dei e membro da obra, disciplinado e respeitoso, nunca falhara na coordenação do evento, momento alto do ano religioso na paróquia. Só uma razão fortíssima poderia justificar a sua ausência. As hipóteses sobre o seu paradeiro multiplica-ram-se quando, de repente, uma mulher, transtornada, irrompeu na igreja. Era a mãe da chefe das catequistas: "O padre fugiu com a minha filha. Estão os dois em parte incerta."
A notícia circulou rapidamente pela freguesia com perto de três mil habitantes, na zona centro do País, apanhando quase toda a gente de surpresa. A chefe das catequistas, casada, sempre de blusa e saia travada, pertencia a uma família "rica mas rude" da vila, e era um símbolo de devoção católica. O padre, por sua vez, apesar de ainda ter 30 e poucos anos (como ela) revelava uma ortodoxia inabalável. "Era muito puritano. Dizia aos adolescentes que a masturbação estava errada, que o esperma era naturalmente expelido através da urina", recorda um dos moradores, na altura muito próximo do pároco. "Às mulheres que ousassem subir ao altar de pernas à mostra, durante a missa repreendia-as no momento", acrescenta.
Só os mais atentos tinham desconfiado. Uma funcionária da autarquia, sexagenária, lembra que "o carro dele era visto muitas vezes em frente à vivenda dela, e vice-versa, e toda a gente sabia que o marido, devido ao seu emprego, passava muito tempo fora de Portugal". Um outro residente da vila, de 78 anos, ia para o emprego às 13 h, voltando ao fim do dia, e durante esse período via sempre o automóvel da catequista estacionado na garagem da casa paroquial. Outra pessoa afirma ainda que, a dada altura, os horários começaram a esticar-se pela madrugada. Alguns também sabiam que ambos tinham sido colegas no secundário, antes de ele entrar no seminário. (...)

www.sabado.pt


1. Seleciona, em cada um dos itens, a única opção que permite obter uma afirmação adequada ao sentido do texto.
1.1. Pode dizer-se que o texto pretende salientar que...
a) o Opus Dei impõe regras muito rígidas.
b) os padres têm todos uma vida escondida.
c) as tentações sexuais não poupam os padres.
d) a vida religiosa é demasiado castradora. :

1.2. A história narrada pode ser entendida como...
a) a pretexto para desenvolver um tema polémico e atual.
b) o principal objetivo da cronista.
c) exemplo da vida sexual dos padres. .
d) alerta para a instituição eclesiástica.

1.3. As certezas de que algo de grave se teria passado para explicar a ausência do pároco deviam-se...
a) à irregularidade revelada pelo padre na organização de eventos.
b) ao cumprimento escrupuloso das obrigações paroquiais.
c) ao puritanismo que o padre sempre demonstrou.
d) à educação, disciplina e respeito revelados pelo pároco.

1.4. A fuga inusitada do padre foi rapidamente espalhada, visto que...
a) a chefe das catequistas também estava envolvida.
b) a mãe da catequista fez circular a notícia da fuga da filha.
c) toda a população já se tinha apercebido do caráter do padre.
d) a freguesia tinha apenas cerca de três mil habitantes.

1.5. Os depoimentos de alguns habitantes da aldeia vêm confirmar...
a) a surpresa causada pelo acontecimento.
b) as suspeitas que recaiam sobre o pároco.
c) a falsa moralidade da mulher que o acompanhou.
d) a atenção que os mais velhos dedicam à vida religiosa.

1.6. O primeiro período do texto apresenta...
a) um complemento direto.
b) um complemento indireto.
c) um modificador.
d) um predicativo do sujeito.

1.7. Os pronomes "o" e "lhe" (linha 2) retomam...
a) ambos o padre.
b) o padre e a casa, respetivamente.
c) o telefone e o padre.
d) um dia e o padre.

2. Faz corresponder a cada um dos cinco elementos da coluna A um elemento da coluna B, de modo a obteres afirmações verdadeiras.


A
2.1. Em "uma mulher, transtornada, irrompeu na igreja" (linha e),...
2.2. Em "A notícia circulou
rapidamente pela freguesia" (linhas),.
2.3. Com o grupo nominal "um símbolo de devoção católica" (linha 10),.
2.4. Ao utilizar a locução "apesar de" (linha ll),.
2.5. Com a forma verbal "ousassem" (linha 13),.


B
a) o enunciador recorre a um complemento oblíquo.
b) o enunciador regista o predicativo do sujeito.
c) o enunciador evidencia o complemento direto.
d) o enunciador emprega um modificador apositivo do nome.
e) o enunciador sugere uma ideia consecutiva.
f) o enunciador recorre ao conjuntivo para sugerir a possibilidade.
g) o enunciador impõe uma lógica concessiva à frase. h) o enunciador serve-se de um advérbio de predicado


III

O celibato é um dos votos a que os padres estão obrigados. Contudo, são várias as vozes que criticam a inflexibilidade da igreja católica, defendendo, inclusive, o casamento para os servos eclesiásticos.

Partindo das afirmações anteriores, redige um texto expositivo-argumentativo, com duzentas a tre-zentas palavras, onde fundamentes o teu ponto de vista com dois argumentos e com, pelo menos, um exemplo significativo.