3.2.11

O lobo e o cordeiro



Como naquele Verão fazia muito calor, um lobo dirigiu-se a um ribeirinho. Quando se preparava para mergulhar o focinho na água, ouviu um leve rumor de erva a mexer-se. Virou a cabeça nessa direcção e viu, mais adiante, um cordeirinho que bebia tranquilamente. “Vem mesmo a propósito!” – pensou o lobo de si para si. - “ Vim aqui para beber e encontro também o que comer...”Aclarou a voz, pôs um ar severo e exclamou:
-Eh! Tu aí!
-É comigo que está a falar, senhor? - respondeu o cordeiro. – Que deseja?
- O que é que desejo? Mas é evidente, meu malcriado! Não vês que ao beber me turvas a água? Nunca ninguém te ensinou a respeitar os mais velhos?
- Mas... senhor? Como pode dizer isso? Olhe como bebo com a ponta da língua... Além disso, com sua licença, eu estou mais abaixo e o senhor mais acima. A água passa primeiro por si e só depois por mim. Não é possível que esteja a incomodá-lo! – respondeu o cordeirinho com voz trémula.
- Histórias! Com a tua idade já me queres ensinar para que lado corre a água?
- Não, não é isso... só queria que reparasse...
- Qual reparar nem meio reparar! Olha que não me enganas! Pensas que te escapas, como no ano passado, quando andavas por aí a dizer mal da minha família? “Os lobos são assim... os lobos são assado...” Tiveste muita sorte por eu nunca te ter encontrado, senão já te tinha mostrado como são os lobos!
- Não sei quem lhe terá contado tal coisa, senhor, mas olhe que é falso, acredite. A prova é que no ano passado eu ainda não tinha nascido.
- Pois se não foste tu, foi o teu pai! - rosnou o lobo, saltando em cima do pobre inocente.
Moral
Para alguém decidido a fazer o mal a todo o custo, qualquer razão serve, ainda que seja uma mentira.


Esopo



1. Enumera, pelos menos, três adjectivos definidores do carácter do lobo e do cordeiro.

2. O encontro do lobo e do cordeiro acontece “nas águas limpas de um regato”. É possível determinar a localização exacta do cenário onde se passa a acção? Justifica a tua resposta.

3. No verso “foi que falaste mal de mim no ano passado”, a expressão grifada permite situar a acção no tempo? Explica a tua resposta.

4. O que nos permite afirmar que o lobo e o cordeiro eram velhos conhecidos?

5. Enumera os argumentos usados pelo lobo para justificar o castigo imposto ao cordeiro.

6. A fábula apresenta um ensinamento ao leitor. Que ensinamento é este e quem o transmite?

7. Porque é que o segundo verso – (nem sempre o Bem derrota o Mal) - está colocado entre parênteses? O que significa a expressão “nem sempre”?

8. Complete a frase, explicando-a com as suas palavras: A razão do mais forte é a que vence no final, pois ________________________________________________________ .