7.2.11

Se tu viesses ver-me


Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos seus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus braços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...




Florbela Espanca


I

Leia com atenção o poema e responda com clareza e correcção às questões apresentadas:
1. «Se tu viesses ver-me hoje à tardinha...» é uma expressão que nos remete para um momento do dia e implica uma condição e um desejo.
1.1. Defina o tema do soneto e o estado de espírito do sujeito lírico.
1.2. Faça o levantamento dos sentimentos e emoções que nos transmite.
1.3. Estabeleça a relação entre o estado de espírito e o momento do dia.
2. Indique algumas sensações que o soneto sugere.
3. Mostre como o passado se interliga com o presente.
4. Analise a expressividade da linguagem e da pontuação.
5. Classifique as rimas utilizadas.


II

1. «Se tu viesses ver-me hoje â Sardinha.»
Identifique as categorias morfológicas a que pertencem as palavras sublinhadas da expressão transcrita e mostre a sua expressividade.

2. Considere as duas frases que se seguem. Construa uma frase complexa que indique uma consequência do que se afirmou.
Sinto-me contente.
Apetecia-me abraçar toda a gente.


III

Exemplificando com este ou outros sonetos de Florbela Espanca, comente as ideias contidas na seguinte afirmação:
«Florbela Espanca legou-nos uma poesia sensual, convulsa e ardente, em que cantou a beleza e o erotismo femininos, os momentos de ternura e de desencanto.»