2.8.10

Perfilados de medo

Perfilados de medo, agradecemos
o medo que nos salva da loucura.
Decisão e coragem valem menos
e a vida sem viver é mais segura.

Aventureiros já sem aventura,
perfilados de medo combatemos
irónicos fantasmas à procura
do que fomos, do que não seremos

Perfilados de medo, sem mais voz,
o coração nos dentes oprimido,
os loucos, os fantasmas somos nós.

Rebanho pelo medo perseguido,
já vivemos tão juntos e tão sós
que da vida perdemos o sentido.

Alexandre O'Neill, Poesias Completas

I

1. Determina a razão pela qual o sujeito poético utiliza a primeira pessoa do plural.

2. Menciona a dicotomia presente na primeira estrofe.
2.1. Refere o recurso estilístico nela expresso.
2.2. Explicita o seu valor expressivo.
2.3. Procura outro exemplo do mesmo recurso.

3. A segunda estrofe veicula uma visão temporal tripartida.
3.1. Justifica esta afirmação, recorrendo a expressões temporais.
3.2. Escolhe um adjectivo, que não terá que ser do texto, que ilustre cada um destes momentos, sem perder o sentido do poema.

4. Explica o sentido do primeiro terceto.

5. Determina o valor expressivo do nome "rebanho", no último terceto.

6. Identifica o recurso estilístico utilizado na repetição da expressão "Perfilados de medo".
6.1. Explicita o seu valor expressivo.

7. Este poema de Alexandre 0'Neill surge pela primeira vez na obra Poemas com Endereço, publicada em 1962.
7.1. Num texto breve, estabelece uma relação entre o conteúdo semântico do poema e as circunstâncias político-sociais que se viviam à época da sua publicação.

8. Classifica esta composição poética, tendo em conta a sua estrutura.
8.1. Efectua uma análise da sua estrutura externa, considerando:
a. as estrofes;
b. a métrica;
c. a rima.


II

"... a vida sem viver é mais segura."

Partindo do verso de 0'Neill apresentado, elabora um breve texto narrativo (até duzentas palavras) que ilustre a afirmação.