8.6.10

Paisagens de Inverno I


Ó meu coração, torna para trás.
Onde vais a correr, desatinado?
Meus olhos incendidos que o pecado
Queimou! - o sol! Volvei, noites de paz.

Vergam da neve os olmos dos caminhos.
A cinza arrefeceu sobre o brasido.
Noites da serra, o casebre transido...
Ó meus olhos, cismai como os velhinhos.

Extintas primaveras evocai-as:
- Já vai florir o pomar das maceiras.
Hemos de enfeitar os chapéus de maias. -

Sossegai, esfriai, olhos febris.
- E hemos de ir cantar nas derradeiras
Ladainhas...Doces vozes senis... –

Camilo Pessanha

I

1. Realce a relação meto-nímica eu/tu-vós (partes do eu).

2. Que parte do eu fraccionado representa:
-a sua relação com o exterior?
- o conhecimento adquirido?

3. De que forma se associa o Inverno à decadência?

4. O Simbolismo herdou do Decadentismo o gosto da sinestesia. Seleccione exemplos no poema.

5. Surpreenda no poema características recorrentes no Simbolismo.

6. Complete o esquema com versos ou expressões do poema.