1.6.10

Mozart



Nascido em Salzburgo a 27 de Janeiro de 1756, Mozart é o menino-prodígio mais famoso da história da música. As suas digressões de concertos pelas cortes europeias, sem dúvida extenuantes para uma criança que acabara de fazer seis anos, foram também a mais fecunda escola para o futuro compositor, que pôde entrar em contacto com as mais diferentes formas de fazer música.
Entre 1762 e 1766, Mozart percorreu grande parte da Europa: Linz, Munique, Viena, Mannheim, Paris, Londres (onde conheceu o filho mais novo de Bach, Johann Christian, uma das mais poderosas influências na sua infância). Ao regressar a Salzburgo em 1766, com apenas dez anos, recebeu a encomenda da que seria a sua primeira obra importante, a ópera Apoio e Jacinto.
O êxito alcançado por Idomeno, Re di Creta, em Munique (1781), assim como a insatisfação que sentia em Salzburgo, animaram Mozart a abandonar a sua cidade natal e a instalar-se em Viena. Aí inicia uma nova vida (em 1782 casou com Constance Weber) sob os melhores auspícios: alunos, concertos, encomendas, a protecção do imperador José II1, que sentia pelo compositor grande admiração.
Nos florescentes anos vienenses, Mozart recebe a protecção da influente família Esterházy, pertencente à maçonaria2, como era prática entre os aristocratas da época. O próprio Mozart ingressou na loja maçónica de Viena em 14 de Dezembro de 1784 e para ela escreveu várias composições.
A partir de 1785, a vida de Mozart em Viena surge semeada de infortúnios, em parte provocados por intrigas e inimizades. A sua situação económica começa a ser mais precária do que nunca, tendo de solicitar ajuda aos seus amigos maçãos. Não obstante, os êxitos sucedem-se: As Bodas de Fígaro (1786), a Sinfonia n.°38 em Ré Maior (1787), Don Giovanni (1787), Cosífan tutte (1790), A Flauta Mágica (1791), a sua última obra estreada em vida e talvez o seu maior êxito. O compositor morreu em 5 de Dezembro de 1791, deixando por concluir o famoso Requiem, que seria terminado pelo amigo e discípulo Süssmayr. Os seus restos mortais foram sepultados numa vala comum.

Pilar Tomás, História da Música Deutsche Grammophon - 1784-1786:
A Magia do Clássico




1. José II: Imperador da Áustria (1741-1790).
2. maçonaria: sociedade semi-secreta organizada segundo princípios de fraternidade, com fins socio-económicos e culturais, e espalhada pelo mundo.



I


1. Observa o modo como o texto está organizado.
1.1. Refere três elementos textuais que mostrem que se trata de uma narrativa organizada cronologicamente.
1.2. Divide o texto em partes, assinalando:
• a introdução e a conclusão;
• o desenvolvimento e os momentos em que este se estrutura, atribuindo um título a cada um deles.

2. Selecciona o aspecto, ou os aspectos, que consideras de maior interesse na vida de Mozart, justificando a tua escolha.

3. No texto é utilizada linguagem denotativa e linguagem conotativa.
3.1. Identifica dois exemplos de linguagem conotativa.
3.2. Qual dos dois tipos de linguagem predomina nesta nota biográfica de Mozart?

4. Identifica o registo de língua dominante. É formal ou informal? Exemplifica.

5. O texto dá uma informação objectiva ou subjectiva sobre Mozart? Justifica a tua resposta.


II

6. Reescreve a frase «os êxitos sucedem-se» no futuro simples do indicativo.

7. Reescreve a frase «sepultaram os seus restos mortais numa vala comum.»
a. substituindo a expressão sublinhada por um pronome pessoal;
b. colocando o verbo no condicional e procedendo à substituição indicada na alínea anterior.


III

Num texto de cerca de duzentas palavras e tomando como modelo o texto sobre Mozart, redige a biografia de alguém que admires.