10.4.10

Justitia Mater


NAS florestas solenes há o culto
Da eterna, íntima força primitiva:
Na serra, o grito audaz da alma cativa,
Do coração, em seu combate inulto:

No espaço constelado passa o vulto
De inominado Alguém, que os sóis aviva:
No mar ouve-se a voz grave e aflitiva
D’um Deus que luta, poderoso e inculto.

Mas nas negras cidades, onde solta
Se ergue, de sangue madida, a revolta,
Como incêndio que um vento bravo atiça,

Há mais alta missão, mais alta glória:
O combater, à grande luz da História,
Os combates eternos da Justiça!

Antero de Quental

I

Após uma leitura atenta do soneto transcrito, faz o comentário global do mesmo, orientando-te pelos tópicos seguintes:

1. Identificação do tema

2. Desenvolvimento do tema

3. Missão do poeta

4. Influências hegelianas e proudhonianas

5. Identificação da estrutura interna (divisão em partes) e sua justificação

6. Importância do espaço

7. Expressividade da linguagem:
- valores tónicos
- valores morfossintácticos:
. adjectivação
- valores semânticos:
. comparação
. metáfora
. antítese

8. Justificação do título


II

"Recebi o baptismo aos poetas,
E, assentado entre as formas incompletas
Para sempre fiquei pálido e triste.

Antero de Quental, Tormento do Ideal


Baseando-te em leituras feitas, elabora um texto de duzentas a trezentas palavras no qual demonstres que a relação antitética utopia/realidade marcou a poesia deste escritor e apresentes algumas tentativas de solução a nível colectivo e a nível individual.