31.3.10

A Pérola




Na pérola, via Coyotito na escola, sentado à sua carteira, como outros que Kino uma vez espreitara por uma porta entreaberta. E Coyotito trazia uma blusa, um colarinho branco e uma gravata de seda. E Kino olhou os vizinhos cheio de orgulho:
- O meu filho irá à escola.
Os vizinhos ficaram mudos. Joana conteve a respiração. Os olhos brilhavam-lhe postos no marido. Baixou-os rapidamente para o Coyotito que tinha nos braços, para ver se aquilo podia ser possível.
Mas a face de Kino iluminou-se com aquela profecia. "O meu filho saberá ler e abrirá livros, o meu filho escreverá, o meu filho saberá escrever. O meu filho fará números. E essas coisas tornar-nos-ão livres, porque ele terá conhecimentos, saberá. Através dele, teremos conhecimentos também." E, na pérola, Kino via-se já agachado na cabana, ao pé do lume, com Joana ao seu lado, enquanto Coyotito lia um livro enorme.
- Tudo isso a pérola fará - afirmou Kino.
Nunca dissera tantas palavras duma vez em toda a vida.

John Steinbeck, A Pérola


I

1. Identifica a personagem principal deste texto e caracteriza-a psicologicamente.

2. Que tipo de relacionamento existe entre Kino, Joana e Coyotito?
2.1. Retira do texto dois exemplos que confirmem a tua resposta.

3. Os vizinhos ficaram mudos.
3.1. Pensas que os vizinhos concordavam com Kino? Porquê?

4. Porque seria a pérola tão importante para a vida futura de Kino?

5. E essas coisas tornar-nos-ão livres, porque ele terá conhecimentos, saberá.
5.1. A que se refere Kino?

6. Retira do texto os seguintes elementos e justifica o seu valor expressivo:
6.1. uma enumeração;
6.2. uma metáfora;
6.3. dois exemplos do uso do tempo verbal futuro simples do modo indicativo.

7. O meu filho irá à escola.
7.1. Analisa esta frase sintacticamente.
7.2. Classifica morfologicamente todas as palavras de mesma frase.

8. Nunca dissera tantas palavras duma vez em toda a vida.
8.1. Num pequeno texto, com um máximo de oito linhas, tenta explicar as razões que Kino teria para ter falado tanto.