11.2.10

Homens caminhando no escuro

Resíduos frescos entre estames caídos.
Mínimas luzes. Marca branda.
Caminhamos colados ao vento,
faces devoradas
- um tilintar de copos numa mesa para além caminho –
a terra restituída
a um sonho em pé.

(Sob a luz das estrelas, ávidos
passos entre árvores.
Respiramos o bafo de uma terra
rente ao peito.

António Ramos Rosa, Sobre o Rosto da Terra (1961)



1. Estamos perante um poema onde se exprime uma luta.
1.1. Descobre três grupos de personagens.
1.2. Mostra a função que desempenha cada grupo.
1.3. Encontra elementos que apontam para o cenário da luta.
1.4. Mostra como a luta é difícil.
1.5. Em que grupo se integra o sujeito lírico?
1.6. A luta será aberta ou tem a marca da clandestinidade? Justifica a resposta.

2. Uma luta tem sempre um projecto que se pretende alcançar.

2.1. Qual será esse projecto?
2.2. Que palavras o traduzem?
2.3. Evidencia como a missão do poeta se integra nesse projecto.

3. Qual será a função do parêntesis?


4. Explica agora o sentido do título.


5. Depois do estudo de poemas de António Ramos Rosa, é possível caracterizar a "arte poética" deste escritor. Em breves palavras, aponta as principais características da sua poesia.



II

Escrever é um acto de amor mal amado. Escreve-se pouco e com dificuldade, quando deveria ser o contrário. Num texto bem articulado, expõe as vantagens do acto da escrita.