20.2.10

Arroz do Céu



(...) E foi assim que aquela chuva benéfica, de arroz polido, carolino, de primeira, acabou por lhe dar a noção concreta de uma Providência. O arroz, vinha do céu, como a chuva, a neve, o sol e o raio. Deus, no Alto, pensava no limpa-vias, tão pobre e calado, e mandava-lhe aquele maná para encher a barriga aos filhos. Sem ele ter pedido nada. Guardou segredo – é mau contar os prodígios com que a graça divina nos favorece. Resignou-se a ser um objecto da vontade misericordiosa do Senhor. E começou a rezar-lhe, fervorosamente, à noite, o que nunca fizera: ao lado da mulher. Arroz do céu...
O céu do limpa-vias é a rua que os outros pisam.

José Rodrigues Migueis, Arroz do Céu


I

1. Faz um levantamento das expressões que no texto têm um significado religioso,
1.1. Justifica o aparecimento deste tipo de vocabulário no conto.

2. Indica o comportamento do limpa-vias perante o aparecimento do arroz.

3. Explica a última frase do conto.

4. Classifica o narrador quanto à presença e quanto à ciência.

5. Parece-te adequado o título do conto? Justifica a tua resposta.

6. "O arroz limpo e polido brilhava como as pérolas de mil colares desfeitos no escuro da galeria."
6.1.Indica a figura de estilo presente nesta frase.

7. Indica as classes morfológicas das palavras sublinhadas.
"Sem ele ter pedido nada."
(...) encher a barriga aos filhos."

8. Liga as frases através das conjunções que achares mais convenientes fazendo as alterações necessárias. Não te esqueças de identificar os elementos de ligação que utilizaste.
a) O limpa-vias viu o arroz. Ele achou que era uma dádiva de Deus.
b) Ele rezou fervorosamente com a mulher. Estava agradecido.
c) Deus pensava no limpa-vias. Mandou-lhe aquele maná.


II

Imagina uma carta que o limpa-vias escreveria a um amigo ou familiar que tivesse ficado no seu país, contando a sua vida na sua nova terra.