17.1.10

Proposição (C. I, 1-3)

1
As armas e os barões assinalados
Que da Ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca dantes navegados
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram;

2
E também as memórias gloriosas
Daqueles Reis que foram dilatando
A Fé, o Império, e as terras viciosas
De África e de Ásia andaram devastando,
E aqueles que por obras valerosas
Se vão da lei da Morte libertando,
Cantando espalharei por toda parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.

3
Cessem do sábio Grego e do Troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandre e de Trajano
A fama das vitórias que tiveram;
Que eu canto o peito ilustre Lusitano,
A quem Neptuno e Marte obedeceram.
Cesse tudo o que a Musa antiga canta,
Que outro valor mais alto se alevanta.

Luís de Camões, Os Lusíadas, Canto I



I

1. O poeta propõe-se cantar «as armas e os barões», «as memórias gloriosas dos reis», «aqueles que por obras valerosas se vão da lei da Morte libertando».
1.1. Que razões apresenta para cantar os dois primeiros tópicos apresentados?
1.2. Que verso da terceira estância engloba tudo o que se refere em 1?

2. Atenta no verso «Que da Ocidental praia Lusitana».
2.1. Releva a figura de estilo que lhe está associada, se o verso for entendido como:
- um conjunto de palavras usado em vez de «Portugal»;
- a parte pelo todo (a praia pelo pais que a contém).
2.2. Indica a que «praia» se refere o poeta.

3. A epopeia não dispensa o recurso à hipérbole.
Recolhe exemplos no texto da «Proposição».

4. Na última estância da «Proposição», o poeta alude, entre outros, ao «sábio Grego» (Ulisses) e ao «Troiano» (Eneias) e às «grandes navegações que fizeram».
4.1. Porquê essa referência a Ulisses e a Eneias e não a outros heróis?
4.2. Como posiciona o poeta os Portugueses face aos heróis míticos a que se refere?

5. Relaciona o conteúdo da estância 3 com o conceito de imitação no Renascimento.

6. Demonstra com expressões do texto que a «Proposição» nos remete já para os quatro planos estruturais do poema: viagem, história, deuses, poeta.