14.1.10

Proposição (C. I, 1-3)

1
AS armas e os Barões assinalados
Que da Ocidental praia Lusitana
Por mares nunca de antes navegados
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram;

2
E também as memórias gloriosas
Daqueles Reis que foram dilatando
A Fé, o Império, e as terras viciosas
De África e de Ásia andaram devastando,
E aqueles que por obras valerosas
Se vão da lei da Morte libertando,
Cantando espalharei por toda parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.

3
Cessem do sábio Grego e do Troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandro e de Trajano
A fama das vitórias que tiveram;
Que eu canto o peito ilustre Lusitano,
A quem Neptuno e Marte obedeceram.
Cesse tudo o que a Musa antiga canta,
Que outro valor mais alto se alevanta.

Luís de Camões, Os Lusíadas, Canto I



1. Após leitura atenta das estâncias 1-3, facilmente se constata que o poeta se propõe glorificar os Portugueses.
1.1. Demonstra-o com expressões do texto.
1.2. Na estância 3, essa glorificação é hiperbolizada. Selecciona o verso que, em teu entender, melhor o ilustra.
1.3. Pode-se concluir que o herói de Os Lusíadas é:
-o exército português
-o Povo português
-D. Sebastião
-a armada portuguesa
-Vasco da Gama
1.3.1. Justifica, socorrendo-te, uma vez mais, de um dos versos do poema.

2. Clarifica o sentido de:
a) "Da Ocidental praia Lusitana";
b) "E aqueles que por obras valerosas / Se vão da lei da Morte libertando";
c) "Cesse tudo o que a Musa antiga canta, / Que outro valor mais alto se alevanta."