8.11.09

Seus olhos

Seus olhos - que eu sei pintar
O que os meus olhos cegou –
Não tinham luz de brilhar,
Era chama de queimar;
E o fogo que a ateou
Vivaz, eterno, divino,
Como facho do Destino.

Divino, eterno! - e suave
Ao mesmo tempo: mas grave
E de tão fatal poder,
Que, um só momento que a vi,
Queimar toda a alma senti...
Nem ficou mais de meu ser,
Senão a cinza em que ardi.

Almeida Garrett, Folhas Caídas



1. Que características do olhar da amada são destacadas pelo sujeito poético?

2. Explica a oposição estabelecida entre luz de brilhar e chama de queimar.

3. Que tipo de sensações/emoções se associam a cada uma destas expressões?

4. Tendo em conta que “os olhos são o espelho da alma”, que sentimento denunciam os olhos da mulher amada?
4.1 Qual a palavra usada pelo sujeito poético para se referir a esse sentimento?
4.2 Identifique o recurso estilístico aí presente.

5. O momento do encontro dos olhares foi decisivo na vida do sujeito poético.
Que consequências teve para ele?

6. Estabelece a relação de ideias que existe entre “facho do destino” e “fatal poder”.

7. Considera que este poema de Folhas Caídas é ilustrativo da concepção romântica do Amor e Mulher? Justifique a sua resposta.



Summer Rose Giclee Print