28.11.09

A Noite e a Madrugada

Quando os homens partiram da vila, em grupos separados, disfarçando o seu propósito por atalhos, ainda a noite se escondia na espessura das nuvens. Chegariam, dia claro, perto do rio Erges e aí deviam aguardar novamente a cumplicidade das trevas. Arriscavam-se vinte e seis cargas de estanho, distribuídas por trinta homens de alugo; mesmo assim, cabia a todos um peso que vergava bem os costados: apesar de as mãos se arroxearem de frio, as camisas colavam-se ao suor dos músculos. Iam distanciados uns dos outros, numa fila sinuosa, por vezes interrompida nas ravinas e nas gargantas dos ribeiros. O nevoeiro cortejava a coroa das serras paralelas à raia, esbatendo-se sobre a planície enregada de alqueives, para encordoar de novo junto à vila.
As cargas de estanho seriam negociadas na mina espanhola de Pelares del Puerto, e os homens, no regresso, teriam de alombar com fardos de fazenda. Se as coisas se arrumassem sem fugas e sem tiros, o esforço dobrado de um par de noites valia um mês de enxada nas herdades.
(is pés iam ficando encortiçados, as horas aproximavam a alvorada, o vento, às vezes, rasgava estradas no céu escuro; a marcha abrandava de entusiasmo. O Pencas ia no grupo da frente e foi percebendo o companheiro da retaguarda a encurtar rapidamente a distância entre ambos: ainda quis aceitar o desafio desse passo vigoroso, mas parou, exausto, a resfolegar. O outro, com o suor morno e salgado a escorrer-lhe para a boca, disse:
— Arreaste. Pesam-te as banhas...
— Vomecê vai com um nervo...
— Tens o corpo lambão, é o que é.


Fernando Namora, A Noite e a Madrugada



I

1. Apresenta o trajecto que as personagens têm que percorrer para levarem a cabo a sua missão.

2. Refere a função da noite.

3. Indica as características da actividade que envolve as personagens e ilustra cada uma delas com uma frase do texto.

4. "[...] o vento, às vezes, rasgava estradas no céu escuro."
4.1. Explica esta frase.
4.2. Identifica o modo de expressão narrativo que esta frase exemplifica.
4.3. Analisa sintacticamente os elementos da oração apresentada.

5. Identifica o registo (nível) de língua que está presente no diálogo contido no texto.

6. Classifica o narrador do texto quanto à sua ciência. Justifica.


II

Relaciona o conto Fronteira, de Miguel Torga, com o texto de Fernando Namora, salientando as ideias que apresentam em comum.