21.5.09

O Violinista



Leia, atentamente, o conto «O Violinista», da autoria de Selma Lagerlõf, a primeira mulher a ser nomeada Nobel da Literatura, em 1909, pela Academia Sueca. Depois, responda às questões que se seguem, de forma cuidada.

1. O primeiro parágrafo dá-nos informações sobre o presente e o passado da personagem Lars Larsson. Explique a transformação que se efectuou na personagem, tendo em atenção o segmento inicial da narrativa.

2. Seguidamente, através de uma analepse, o narrador dá-nos a conhecer uma situação vivida por Lars Larsson.
2.1. Localize a acção no espaço e no tempo.
2.2. Depreenda, a partir da leitura do terceiro parágrafo, o estado emocional que domina a personagem.

3. Nos discursos entre aspas, o narrador reproduz monólogos interiores da personagem.
3,1. Esclareça a importância desses fragmentos textuais.

4. «[...] num gesto nervoso, arrancou [...] algumas folhas, que lançou ao riacho.»
4.1. Decifre a possível simbologia de «riacho».
4.2. Explique os receios da personagem, quando supõe ouvir «sons metálicos» produzidos pela água (l. 70).
4.3. Transcreva expressões que traduzam a ideia de que a própria natureza parece ser opo-nente ao protagonista da acção.

5. Lars Larsson encontra uma construção antiga da qual sai uma personagem
5.1. Reconte a situação vivida pelo violinista a partir deste momento.

6. Formule conclusões sobre a moralidade que esta «lenda» encerra.

7. «- Mãe, caí em desgraça por causa dos valores conotativos do acto de dizer.
meu orgulho e agora tenho de morrer de tanto tocar. Mas antes diz-me se podes perdoar-me, a mim, que te abandonei pobre e só na tua velhice!»
7.1. Reproduza o excerto transcrito em discurso indirecto, respeitando os preceitos necessários para o efeito.

8. «Na parte da floresta que Lars atravessava, um arroiozinho procurava caminho. No terreno pedregoso e acidentado, era com dificuldade que avançava: errava por aqui e por ali, arriscava-se em diminutas cascatas, e, contudo, dava a impressão de não chegar a parte alguma. Pelo contrário, o caminho que o músico seguia esforçava-se por ser o mais direito possível. Por isso, a cada instante encontrava ele o regato tortuoso que de vez em quando atravessava por sobre uma pequena ponte. O músico era, assim, obrigado a cruzar constantemente o ribeiro, o que, aliás, não lhe desagradava. Parecia-lhe que era acompanhado, que já não se encontrava sozinho na floresta.»
8.1. Identifique, no excerto, articuladores de discurso que traduzam ideias de oposição e de consequência.
8.2. Altere frases deste excerto textual de modo a obter afirmações que não respeitem os princípios da não contradição e da não tautologia.

9. Escreva duas frases, de preferência associadas ao conto que leu, com as palavras «emergir» e «imergir».