13.5.09

Está o lascivo e doce passarinho




Está o lascivo e doce passarinho
Co'o biquinho as penas ordenando,
O verso sem medida, alegre e brando,
Espedindo no rústico raminho.

O cruel caçador, que do caminho
Se vem, calado e manso, desviando,
Na pronta vista a seta endireitando,
Lhe dá no Estígio lago eterno ninho.

Destarte o coração, que livre andava,
(Posto que já de longe destinado),
Onde menos temia, foi ferido.

Porque o Frecheiro cego me esperava,
Para que me tomasse descuidado,
Em vossos claros olhos escondido.

Luís de Camões


I

1. O soneto apresenta-se bipartido em dois termos de comparação.
1.1. Destaca o vocábulo que articula os dois termos da comparação.
1.2. Salienta o que há de comum entre o primeiro e o segundo termos.

2. Numa leitura atenta é possível estabelecer uma correspondência directa entre elementos dos dois termos da comparação.
2.1. Identifica-os
2.2. Sublinha os adjectivos que caracterizam cada um desses elementos
2.3. O poeta toma partido por dois destes elementos contra os outros dois. Justifica com elementos do poema esta afirmação.

3. Indica o tema deste soneto.