31.5.09



Calisto entrelaçou os dedos em postura suplicante, e exclamou:
- Chovam-lhe os arcanjos do Senhor quantas felicidades a bem-aventurança encerra! Nunca uma nuvem escura lhe enegreça os seus sonhos de felicidade! Multipliquem-se em alegrias eternas para V. Ex.a estes instantes de ventura que me deu, minha misericordiosa amiga!
Nenhuma paixão súbita estalou ainda com estrondos deste tamanho. A gente compreende como estas coisas acontecem; casos se podem ter dado connosco da mesma natureza, mas o que nós não fizemos nunca, se o amor nos assaltou de improviso, foi falar assim, romper tão depressa em veemências de entusiasmo. Nós, homens criados mais ou menos por salas, afeitos a subordinar o sentimento às práticas da civilidade, desafogamos em êxtases e suspiros, contemplamos embelezados a mulher que nos endoideceu, respondemos com frioleiras gagas a uma pergunta, que nos ela faz com toda a presença do seu espírito. Toda a lástima é pouca para os ridiculíssimos trejeitos que fazemos então.
Ora, isto é bom que assim continue a ser. Esse quarto de hora de suprema realeza das mulheres é tudo que elas têm, e pouco mais. Esse espaço de fascinação, que nos embrutece, é a divinização delas. Às pobrezinhas, quando o tempo as apeia dos altares, e os maridos convertem a prata dos turíbulos em caixas de rapé, fica-lhes sempre a memória consolativa daquele quarto de hora.
Tornando ao ponto, queria eu dizer que o morgado da Agra de Freimas não falaria daquele modo, nem tão do íntimo da alma apaixonada, se tivesse experiência dos usos da boa sociedade. Os bons usos ordenam que o homem se declare à mulher que ama, depois que as impressões repetidas de vê-la e ouvi-la hajam desfalcado o vigor do sentimento. A praxe requer primeiro o êxtase, depois as sensaborias tartamudas, ultimamente a declaração, com intervalo de três meses ao êxtase.

Camilo Castelo Branco, A Queda de Um Anjo



I

1. A expressão de sentimentos cruza-se, neste excerto de A Queda de Um Anjo, com a sátira social.
1.1. Situe o texto na estrutura interna da obra.
1.2. Mostre, a partir de expressões do texto, a comparação que o narrador faz desta «paixão súbita» com o que acontece normalmente aos homens.
1.3. Identifique os objectos ou elementos sobre que incide a crítica do narrador.

2. Releve os aspectos mais significativos da linguagem e do estilo camiliano neste excerto.


II

1. Construa uma frase complexa com as duas frases simples, mas que contenham uma proposição subordinada concessiva:
Consegui acabar dentro do prazo. Isso custou-me um grande esforço.

2. Do grupo de palavras apresentado abaixo, enumere as que podem ser consideradas cognatas, ou seja, da mesma família.
a - frigido, frieira, friesta, frigideira, frigorífico, esfriar, frigir, desfrisar, resfriado
b - honorários, honorífico, honor, honradez, exonerar, honorário, desonra


III

Recordando algumas obras de Camilo Castelo Branco, como por exemplo Amor de Perdição e A Queda de Um Anjo, comente a seguinte afirmação de Vitorino Nemésio:
«O segredo da permanente sedução de Camilo está no seu casticismo irresistível, em que o estilo vernáculo é muito menos importante do que o estilo sentimental (a maneira ou modo de amar e sentir), feito de obstinação, de fogo, de meiguices angélicas e de absurdas violências.»