4.2.09

Ondas do mar de Vigo




Ondas do mar de Vigo,
se vistes (1) meu amigo!
E ai Deus, se verrá (2) cedo!

Ondas do mar levado (3),
se vistes meu amado!
E ai Deus, se verrá cedo!

Se vistes meu amigo,
O (4) por que (5) eu sospiro!
E ai Deus, se verrá cedo!

Se vistes meu amado,
por que hei gran cuidado!
E ai Deus, se verrá cedo!

Martim Códax, CV 884, CBN 1227


NOTAS:
(1) Subentenda-se dizei-me antes de vistes;
(2) – virá;
(3) mar bravo, encapelado;
(4) aquele;
(5) quem.





I

1. Identifique o sujeito de enunciação e o destinatário desta cantiga.

2. Qual o estado sentimental do sujeito de enunciação?

2.1. Que causa lhe deu origem?

3. O sujeito de enunciação manifesta uma preocupação e um desejo.

3.1. Refira uma e outro, explicando quais os recursos linguísticos utilizados para os expressar.

4. Qual o papel das «ondas do mar»?

5. Indique os recursos estilísticos dominantes na cantiga.

6. Refira o tema da cantiga.

7. Explique os motivos que nos levam a inserir esta cantiga de amigo no tipo das «barcarolas» ou «marinhas».


II

Comente a seguinte afirmação:

«As relações trovador/dama são muito diferentes da graça, ingenuidade e sinceridade evidentes nas relações amigo/amiga. Com efeito, o amor cortês reveste-se de aspectos peculiares: a vassalagem, o morrer de amor, o elogio da senhor».