7.1.09

O Colar


As afirmações que se seguem podem ser verdadeiras ou falsas. Assinala, à frente de cada uma, com V as verdadeiras e com F as falsas.


1. A acção do texto dramático passa-se em Itália.

2. A obra de teatro divide-se em apenas três actos.

3. Vanina é uma jovem rica e independente.

4. Bonina é uma dama que vai a todo o lado, acompanhando Vanina.

5. No primeiro acto, Vanina afirma que irá passear até à Praça de S. Marcos.

6. O nome “Geraldina” identifica-se perfeitamente com o dinamismo da personagem.

7. Vanina apaixonou-se por Pietro, depois deste lhe ter oferecido uma rosa em casa de Giovanna.

8. O casamento de Vanina com o Comendador surge como solução para os problemas financeiros da personagem.

9. No contexto da peça, a frase de Vanina “O mundo é um jogo trocado” aplica-se à situação de Vanina, Pietro e o Comendador.

10. Pietro é considerado um galanteador.

11. À noite, Vanina foi alvo de uma serenata cantada pelo Comendador, a mando de Pietro.


12. Vanina aparece à janela com o colar oferecido por Pietro, para o iludir.

13. No jantar oferecido pelo Comendador, Vanina comporta-se como uma dama sensata, agradando ao seu noivo.

14. A condessa Zetti é de opinião de que o casamento do sobrinho é um teatro de ilusões e desilusões, de iludidos e desiludidos.

15. É visível a preferência da condessa por Geraldina para casar com o seu sobrinho.

16. Entre Vanina e o Comendador é notória uma grande empatia, comungam de opiniões semelhantes.

17. No final do jantar, o Comendador retira-se por se sentir muito cansado.

18. Vanina e Pietro encontram-se no jardim, depois do jantar, e beijam-se.

19. O Comendador envia uma carta a Vanina dizendo-lhe que encontrou alguém por quem sente grande afinidade e que a deixa livre para o amor.

20. Quando Vanina se sabe livre, fala em casamento a Pietro e ele concorda.

21. Para Pietro, Vanina é o grande amor da sua vida.

22. No final, Vanina sofre uma grande desilusão de amor.

23. Antes de sair da casa do Comendador, Vanina despede-se da condessa.

24. Do diálogo entre a condessa e Lord Byron depreende-se que ambos já sofreram por amor.

25. O texto termina com uma música de Lord Byron.