9.1.09

Livre


Não há machado que corte
A raiz ao pensamento
Não há morte para o vento
Não há morte

Se ao morrer o coração
Morresse a luz que lhe é querida
Sem razão seria a vida
Sem razão

Nada apaga a luz que vive
Num amor num pensamento
Porque é livre como o vento
Porque é livre

Carlos Oliveira


1. Que sentido conotativo podem ter as expressões:
a) “machado”
b) “vento”

2. Diz, justificando, qual te parece ser o assunto central do poema: a morte, o amor, a liberdade, a natureza ?

3. Repara agora na estrutura formal do poema.
3.1 Apresenta o esquema rimático.
3.1 Classifica a rima.
3.3 Indica uma rima consoante.
3.4 E uma rima toante.
3.5 Indica uma rima rica e uma pobre.

4. Repara agora na estrutura métrica do poema.
4.1 Faz a escanção do 3º verso.
4.2 Procura uma elisão e transcreve-a.
4.3 Faz o mesmo relativamente a uma crase.
4.4 Classifica quanto ao número de sílabas:
O primeiro verso da terceira estrofe.
O quarto verso da segunda estrofe.

5. Analisa morfologicamente as palavras (entre parênteses o número dos versos):
não (1)
que (1)
para (3)
amor (10)
porque (11)

II

Faz uma composição curta em verso, de acordo com as seguintes instruções:
Pelo menos uma quadra; versos livres; rima externa cruzada; uma comparação, pelo menos. Podes escolher o tema.