20.1.09

Da minha aldeia vejo





DA MINHA ALDEIA vejo quando da terra se pode ver no Universo....
Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver.


Alberto Caeiro, em "O Guardador de Rebanhos"



I

1. Divide o texto em duas partes lógicas, referindo o assunto de cada uma delas.

2. Refere as especificidades da aldeia, justificando com expressões textuais.

3. o que quer dizer o poeta nos versos 3 e 4? Apresenta a tua interpretação.

4. Caracteriza a cidade, de acordo com o olhar do poeta.

5. Identifica dois recursos de estilo presentes na última estrofe.
5.1.Comenta a sua expressividade.

6. Mostra em que medida este poema é representativo da poética de Alberto Caeiro.


II

Para Ricardo Reis, a vida não é triste nem alegre, é uma curta passagem.

Partindo da afirmação transcrita. expõe a tua opinião sobre características da poesia de Ricardo Reis, num texto de 80 a 120 palavras.