11.9.08

Se é doce no recente ameno Estio

Se é doce no recente ameno Estio
Ver toucar-se a manhã de etéreas flores,
E, lambendo as areias e os verdores,
Mole e queixoso deslizar-se o rio;

Se é doce no inocente desafio
Ouvirem-se os voláteis amadores,
Seus versos modulando e seus ardores
De entre os aromas do pomar sombrio;

Se é doce mares, céus, ver anilados
Pela quadra gentil, de Amor querida,
Qu’ esperta os corações, floreia os prados;

Mais doce é ver-te, de meus ais vencida,
Dar-me em teus brandos olhos desmaiados
Morte, morte de amor, melhor que a vida.

Bocage



I

1. Identifique o assunto do poema, explicitando devidamente a sua estrutura interna.

2. Faça a caracterização da natureza aqui referenciada, justificando a sua resposta com expressões textuais.
2.1. Proceda ao levantamento de três recursos estilísticos ao serviço desta descrição. Explique - os devidamente, apontando o seu valor expressivo.

3. Justifique e explicite a função da natureza nesta composição.

4. Comente o estado de espírito do sujeito lírico e indique os motivos que poderão estar na sua base.

5. Explicite o valor e a função das frases de tipo condicional.

6. Explique a oposição que se estabelece entre o último terceto e as restantes estrofes.

7. Integre este soneto na corrente literária correspondente, fazendo o levantamento das suas características estético-formais .