18.8.08

CENA X


CENA X
Ditos e Amália


Amália (acudindo) -Oh meu Deus! que é isto?
José Félix (baixo a Amália) -Separe-nos, ande... (Alto) Eu não bato a mim.
Duarte -Mas mim bate a ti. Agora o veremos.
Brás Ferreira -E eu mando-te que te cales. Que tal está! Ai que eu!... (aparte) E eu que cuidava ao princípio que era uma brincadeira!... e o jogo é a valer. (A José Félix) O senhor é o ofendido...
Duarte - Não, senhor, o ofendido sou eu.
Brás Ferreira - Tu?! tu que o ias matando, aleijando pelo menos!
Duarte - Não é verdade.
José Félix - É verdade.
Brás Ferreira - É verdade, sim, senhor: a culpa é sua, não há que duvidar.
Duarte - Se meu tio o diz, não tenho remédio eu senão acreditá-Io.
Brás Ferreira - Ora graças a Deus! que confessou a sua culpa, e entrou na razão enfim. Da sua parte, Milorde, espero que desista, que se esqueça...
José Félix - Se o senhor está muito triste, very sorry, se não tinha intenxion...
Brás Ferreira - Não tinha, não.
Duarte - Não tive.
Brás Ferreira - Então vamos! Esqueça-se tudo; e em sinal de reconciliação, Milorde, há-de almoçar connosco.
Amália - Inda bem! respiro.
Duarte (aparte) - Verdade, verdade, não tenho muito de que me queixar. Inda eu lhe sou obrigado ao tal maganão que embirrou a fazer-me este serviço. (Alto) Oh lá! Joaquina, Isidoro! algum de vocês... É preciso mandar arranjar depressa alguma coisa...
Brás Ferreira - Para quê?
Duarte - Pois o senhor almoça connosco...
Brás Ferreira - Almoça: e então? Tu tens almoço em casa para um príncipe. Já te esqueceste?
Duarte - Ah! sim... decerto... Mas talvez um almoço de garfo... sem chá preto... sem manteiga fresca... não será de gosto de Milorde...
José Félix - Eu peço o seu perdão, Vóssinhorrie. O meu stomago é cosmopolitana, entende todos línguas, janta em francês, pórrtuguiz... não importa; almoça com Turquia se é preciso, e ceia sobre Peru, se Vóssinhorrie dá prazer.


Almeida Garrett, Falar Verdade a Mentir


I

1. Por que razão quer Brás Ferreira ser justo com Duarte?

2. Por que motivo Duarte referiu que tinha à sua disposição três lugares de primeira ordem para emprego?

3. É verdade que Duarte é director de um clube? Porquê?

4. Quem é Tomás José Marques? Como aparece na história?

5. Como se compreende que Tomás José Marques exija a Duarte o pagamento da décima e dos impostos anexos da casa que este lhe vendeu? (Relaciona este facto com o pedido de dinheiro que Brás Ferreira fez a Duarte.)

6. A propósito da recebedoria-geral de Santarém, Brás Ferreira pede desculpa a Duarte. Porquê?

7. Mentira sucede a mentira:
7.1. Conta, por palavras tuas, a história do duelo.

8. Milord Coockimbrook diz que o seu estômago é cosmopolitano.
8.1. Que crítica se pode fazer a este inglês?

9. Após o almoço, Joaquina fala sozinha.
9.1. Que importância tem o seu monólogo?

10. Que satisfação traz a Brás Ferreira o conhecimento que trava com o general?