13.5.08

O conto das mentiras

Vou contar-vos uma coisa. Vi dois frangos assados a voar; voavam rápidos, com o ventre virado para o Céu e as costas para o Inferno; e urna bigorna e uma mó que nadavam no Reno, devagar e suavemente, enquanto uma rã devorava uma relha de arado, sentada no gelo, no dia de Pentecostes. Três indivíduos, com muletas e pernas de pau, perseguiam uma lebre: um era surdo; outro, cego; o terceiro, mudo; e o quarto não podia mover uma perna. Quereis saber o que aconteceu? Pois o cego foi o primeiro a avistar a lebre e a correr pelo campo; o mudo chamou o tolhido e o tolhido agarrou-a pelo cachaço. Uns homens que queriam navegar por terra içaram vela e avançaram através de vastos prados, e ao atravessar uma alta montanha naufragaram e afogaram-se. Um caranguejo perseguia uma lebre e urna vaca subira a um telhado. Há um país em que as moscas são tão grandes como as nossas cabras. Abre a janela para que possam sair as mentiras.

Jacob e Wilhelm Grimm (irmãos Grimm), "O conto das mentiras",
in A Chave de Ouro e Outros Contos, Texto Ed.


I

1. Os autores optaram por escrever este conto num só parágrafo. No entanto, por conter várias pequenas histórias, ele poderia ser escrito com uma pequena história em cada parágrafo. Escreve o início de cada um desses possíveis parágrafos.

2. Escreve a história dos frangos e a história dos homens que queriam navegar, de modo a não conterem mentiras.

3. Explica em que consistem as mentiras da história da bigorna, da mó e da rã.

4. Transcreve partes da história dos três indivíduos que evidenciem duas mentiras.

5. Agora, constrói o teu Conto das Mentiras. Usa a tua imaginação e não te deixes influenciar pelas situações criadas pelos irmãos Grimm.