26.5.08

Cena de Joane, o Parvo




Joane: Hou do barco!
Anjo: Que me queres?
Joane: Queres-me passar além?
Anjo: Quem és tu?
Joane: Samica alguém.
Anjo: Tu passarás, se quiseres;
Porque em todos teus fazeres
Per malícia nom erraste.
Tua simpreza t’abaste
Para gozar dos prazeres.


Samica: provavelmente
Simpreza: simplicidade, ingenuidade
Malícia: má intenção



I

1. O parvo, ao contrário de outras personagens, quando chega ao cais não leva nada do mundo.
a) Como interpretas este facto?
b) Poderá isto ser um indicador de que Joane se vai salvar? Explica.

2. O anjo autoriza Joane a entrar na barca que vai para o Paraíso.
a) Que razões apresenta o anjo para justificar essa decisão?
b) Concordas com a decisão do anjo? Justifica a resposta.

II

Desenvolve o tema: A intenção de Gil Vicente ao escrever esta obra.

III

1. Divide e classifica as orações da frase: “Tu passarás (…) erraste”

2. Classifica morfologicamente as palavras: porque, alguém, além.

3. Diz que função sintáctica têm as expressões ou palavras:
a)”Que” (2º verso)
b)”tua simpreza” (9º verso)
c)”para gozar dos prazeres” (10º verso)

4. Nomeia e descreve os processos fonéticos presentes:
a) lacum > lago
b) tibi > tii > ti (2)