8.4.08

Cheios de espessa névoa os horizontes


Cheios de espessa névoa os horizontes,
Espantosas voragens vêm saindo!
Foi-se o Sol entre nuvens encobrindo,
Voltando-se para o mar os quatro Etontes.

Caiu a grossa chuva pelos montes,
Os incautos pastores aturdindo;
E, engrossando, os rios vão cobrindo
Com embate feroz as curvas pontes.

Com medonho estampido, pavorosos,
Os longos ecos dos trovões soando,
A rezar nos pusemos temerosos.

Parou a chuva; correm sussurrando
Os torcidos regatos vagarosos;
Não me atrevo a sair, fico jogando.

Correia Garção


I

1. Divide o texto em partes, detectando uma introdução, um desenvolvimento e uma conclusão.
1.1. Resume cada parte numa frase.
1.2. Mostra a articulação dos vários momentos.

2. Analisa o poder expressivo dos adjectivos.

3. Indica as consequências da tempestade.
3.1. Explica a expressividade do uso da conjugação perifrástica e do gerúndio.

4. No primeiro terceto, está presente a harmonia imitativa, ou seja, a onomatopeia.
4.1. Explica os recursos que a realizam.

5. Que relação tem a presença dos pastores com a Arcádia?
5.1. Qual o poeta da Antiguidade Clássica que os árcades tentavam imitar?

6. O final do soneto aponta para uma convivência burguesa, tipificada no jogo. Justifica esta situação.


II

As Arcádias lutaram contra os excessos do Barroco, procurando recuperar a pureza dos nossos primeiros clássicos e dos antigos.
• Num texto de 150 a 200 palavras, expõe as principais normas que defendiam para alcançar esse objectivo.