20.3.08

Nossa Senhora das Neves




Na nova igreja matriz da antiga praça-forte de Almeida há uma interessante imagem de Nossa Senhora das Neves.
As raízes da lenda remontam a 26 de Agosto de 1810, quando os franceses arrasaram a vila num cerrado fogo de bombas e canhoneio. E as explosões destruíram não só o castelo, abrindo incomensuráveis brechas na muralha como derrubaram a sede da igreja almeidense. Logo depois da destruição da igreja e do castelo, os almeidenses quedaram-se como que órfãos desses dois decisivos sinais da sua identidade. Deambulando entre os escombros, sentiam abatido o orgulho que sempre haviam patenteado. As ruínas levavam-nos a querer proceder ao despertar da cidade traumatizada pela tragédia. Para eles, avultava a ideia de removei os escombros e dar uma nova ordem à cidade em cinzas. Equipas de voluntários prestavam-se a recompor a vila. E uns tempos mais tarde ergueu-se todo o povo que queria salvar a memória da sua terra. Limpar era a palavra de ordem. Para abrir espaço entre as escombreiras, atearam uma boa fogueira com os materiais revolvidos tidos como definitivamente inúteis. E a fogueira crescia, crescia...
De repente, aconteceu. Aconteceu o quê?
Pois um fenómeno testemunhado pelas largas dezenas de voluntários para a limpeza da vila.
Não é que todos olharam estupefactos o céu plúmbeo e escuro e o sol primaveril havia desaparecido como por encanto, dando lugar a um frio cortante e inesperado que se entranhou fortemente nos corpos desabrigados?! Atónitos e perdidos, todos viram cair uma neve alva e gélida, que fez baixar imediatamente as impetuosas chamas do intenso braseiro, acabando por apagá-lo. Petrificados e sem fala, os almeidenses notaram como sobressaía, no meio do amontoado de destroços queimados e fumegantes, uma imagem de Nossa Senhora, pertencente à antiga igreja matriz. A aparição provocou profundo silêncio, mas logo avançaram alguns a recolher a imagem chamuscada. Demorou a regressar à matriz reconstruída de Almeida, pois houve que reconstruí-la, mas ainda hoje lá a podemos ver como ilustração desta mesma lenda...

VIALE MOUTINHO, Lendas de Portugal


I

1. Considera a acção da lenda «Nossa Senhora das Neves».
1.1. Onde se desenrolam os acontecimentos?
1.1.1 Quando se desenrolam?
1.2. Em que consiste a acção desta lenda?

2. Distingue, na mesma, o fundo histórico do imaginário popular.

3. Justifica o facto de se atribuir a este texto a designação de lenda.