28.12.07

Cesário Verde

Diga se são verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmações:

1. A obra de Cesário Verde, curta devido á morte prematura, é grandiosa e de importância deter-minante no contexto da modernidade.
2. A poesia é, para o parnasiano, um fruto da inspiração.
3. A poesia é, para o parnasiano, um fruto paciente de sabedoria, um reiterado trabalho de perfeição em ritmo e em rima.
4. Na obra de Cesário Verde ressalta a visão plástica de uni "poeta-pintor" atento à realidade quotidiana que o cerca.
5. Cesário é o simples parnasiano imparcial e impassível, que vê e regista a paisagem física do campo e a paisagem humana da sociedade do seu tempo.
6. Cesário Verde (1855-1886) apreende de tudo os pequenos flagrantes, de modo vivo e dinâmico, retratando a realidade…
7. Cesário Verde (1855-1886} capta do campo a vitalidade e a força telúrica; não canta o conven-cionalismo idílico, mas a natureza, os pomares, as canseiras da família durante as colheitas.
8. Em Cesário Verde a cidade surge viva com homens vivos; mas nela há a doença, a dor, a miséria, o grotesco, a beleza e a sua decomposição fatal….
9. Na poesia de Cesário Verde encontramos o "erotismo da humilhação", onde a mulher fatal sobressai, por entre as imagens desfocadas de uma cidade viciada, de "fantasias mórbidas", ao gosto de Baudelaire.
10. Na parte final do poema Contrariedades, Cesário Verde manifesta a revolta do sujeito poético e despreocupação com a situação da vizinha.
11. No poema Contrariedades, Cesário Verde aponta como causas do seu estado de espírito a simplicidade nos usos e nos costumes e as alegrias da vida.
12. No poema Contrariedades, Cesário Verde descreve o estado emocional do sujeito poético, apresentando-o cruel, frenético, exigente, impaciente...
13. No poema Contrariedades, Cesário Verde tece críticas à sociedade, que considera desumana, injusta, decadente, depravada, insensível...
14. No poema Contrariedades, Cesário Verde tece elogios á sociedade, que considera justa e sensível.
15. No poema De Tarde, ao descrever aquele "piquenique de burguesas", Cesário Verde constrói o cenário com objectividade e pormenor.
16. No poema Num Bairro Moderno, os "vegetais" da giga da hortaliceira adquirem as formas de um ser humano masculino e aquele | "retalho de horta aglomerada" acaba por simbolizar a cidade.
17. No poema de Cesário Verde Num Bairro Moderno, identificamos a invasão simbólica da cidade pela vitalidade e pelo colorido saudável dos produtos do campo.
18. No poema de Cesário Verde Num Bairro Moderno, o poeta transfigura o quotidiano numa pintura viva.
19. No poema de Cesário Verde O Sentimento dum Ocidental encontramos um cenário citadino de ruas alegres e cheias de luz...
20. O Parnasianismo caracteriza-se, ao nível do conteúdo, pela atenção ao mundo interior, pelo gosto do pormenor e pelo predomínio da subjectividade.
21. O Parnasianismo é uma escola literária que defende a 'arte pela arte", iniciada em França, em meados do século XIX.
22. O Parnasianismo é uma escola poética que pugna pelo lirismo romântico e ultra-romântico e é contrária à delicadeza e perfeição da forma.
23. O Parnasianismo é uma tendência artística que procura a confecção perfeita através de uma poesia descritiva, baseada, muitas vezes, em temáticas greco-latinas.
24. O Parnasianismo é uma tendência política que procura a igualdade entre os homens.
25. Os poetas parnasianos buscam a perfeição formal, fazendo da poesia algo de escultórico, esculpindo o concreto com nitidez e perfeição.