12.10.07

Vento




As palavras
cintilam
na floresta do sono
e o seu rumor
de corças perseguidas
ágil e esquivo
como o vento
fala de amor
e solidão:
quem vos ferir
não fere em vão,
palavras.

Carlos de Oliveira, Trabalho Poético



I

1. «As palavras / cintilam / na floresta do sono» (vs. 1-3)
1.1 Esclarece o significado do vocábulo «cintilam».
1.2 Refere a figura de estilo presente na expressão sublinhada.
1.2.1 Explica o seu valor expressivo.

2. O rumor das palavras é «ágil e esquivo» (v. 6)
2.1 Por que motivo as palavras são comparadas a «corças perseguidas»?

3. «(...) o vento / fala de amor / e solidão:» (vs. 7-9) 3.1 Regista palavras que falem de amor e de solidão.

4. Nos últimos três versos, o poeta dirige-se às palavras.
4.1 Que figura de estilo neles se evidencia?
4.2 Interpreta a seguinte afirmação: «quem vos ferir/não fere em vão» (vs. 10-11).


II

1. Regista vocábulos da família de «palavra».

2. Refere a constituição morfológica de «cintilam» (v. 2) e «esquivo» (v. 6).

3. Refere a função sintáctica das palavras e expressões sublinhadas nos seguintes versos: «quem vos ferir / / não fere em vão, / palavras».