5.8.07

Invocação a Calíope (C.III, 1-4)




1
Agora tu, Calíope, me ensina (1)
O que contou ao Rei o ilustre Gama;
Inspira imortal canto e voz divìna
Neste peito mortal, que tanto te ama.
Assi o claro inventor da Medicina, (2)
De quem Orfeu pariste, ó linda Dama, (3)
Nunca por Dafne, Clície ou Leucothoe (4)
Te negue o amor dívido, como soe. (5)

3
Prontos estavam todos escurtando
O que o sublime Gama contaria,
Quando, despois de um pouco estar cuidando,
Alevantando o rosto, assí dìzia:
"Mandas-me, ó Rei, que conte declarando
De minha gente a grão genealogia; (6)
Não me mandas contar estranha história,
Mas mandas-me louvar dos meus a glória.

4
Que outrem possa louvar esforco alheio,
Cousa é que se costuma e se deseja;
Mas louvar os meus próprios, arreceio
Que louvor tão suspeito mal me esteja;
E, pera dízer tudo, temo e creio
Que qualquer longo tempo curto seja;
Mas, pois o mandas, tudo se te deve;
Irei contra o que devo, e serei breve

Luís de Camões, os Lusíadas, Canto III


NOTAS:
(1) Calíope: Musa da eloquência e da epopeia.
(2) O inventor da medicina: Apolo, que presidia à poesia, à música, às artes e à medicina.
(3) Orfeu: filho de Apolo e de Calíope.
(4) Dafne, Clície, Leucothoe: ninfas.
(5) Soe: costuma.



I

1. Como se justifica a invocação a Calíope no início deste canto?

2. Vasco da Gama irá narrar neste canto parte da história de Portugal relativa à primeira dinastia. Como se justifica esta analepse na estrutura do poema?

3. Que receios manifesta Vasco da Gama antes de contar a história de Portugal?

4. O que leva Vasco da Gama a decidir-se a contar a história da sua pátria?

5. Como se dispõe Vasco da Gama a ordenar a sua narrativa?

6. Explique o sentido dos quatro versos finais da estância 20.

7. Que sentimentos deixa transparecer o primeiro verso da estância 21?

7.1. Que desejo é formulado nos versos seguintes da mesma estância?

8. Identifique as figuras de estilo presentes nos seguintes versos:

«Que qualquer longo tempo curto seja» (4, v. 6)
«Acabe-se esta luz ali comigo» (21, v. 4)
9. Os Lusíadas são um poema épico do Renascimento, mas outras epopeias existiram antes. Refira o nome das gregas e da latina.

10. Em quantas partes se dividem Os Lusíadas? Justifique.


II

Numa composição cuidada, fale da importância de Os Lusíadas para a subsistência da identidade cultural dos Portugueses.