12.4.07

Cheios de espessa névoa os horizontes

Do Neoclassicismo ao Pré-Romantismo


Cheios de espessa névoa os horizontes,
Espantosas voragens vem saindo!
Foi-se o Sol entre nuvens encobrindo,
Voltando para o mar os quatro Etontes.

Caio a grossa chuva pelos montes,
Os incautos pastores aturdindo;
E, engrossando, os rios vão cobrindo
Com embate feroz as curvas pontes.

Com medonho estampido, pavorosos,
Os longos ecos dos trovões soando,
A rezar nos pusemos temerosos.

Parou a chuva; correm sussurrando
Os torcidos regatos vagarosos;
Não me atrevo a sair, fico jogando.

Correia Garção


I

1. É notório o pendor descritivo deste soneto. Mostra como a objectividade está presente na descrição:
1.1. da Natureza;
1.2. do estado do tempo.

2. Que reacções são assumidas pelo sujeito-poeta?

3. Delimita os três momentos que estruturam este soneto.

4. A pluralização, o gerúndio e a adjectivação são os principais recursos técnico-expressivos. Evidencia o valor estético de cada um deles.

5. A auto-ironia está aqui sugerida. Selecciona dois momentos e explica o seu significado.


II

Este soneto revela já diferenças em relação à estética barroca. Como já conheces os dados contextuais que envolvem o aparecimento do Neoclassicismo, elabora uma breve dissertação sobre o que este movimento artístico-literário trouxe de novo à cultura literária.