21.3.07

Proposição (C. I, 1-3)

1
As armas e os barões assinalados
Que da Ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca dantes navegados
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram;

2
E também as memórias gloriosas
Daqueles Reis que foram dilatando
A Fé, o Império, e as terras viciosas
De África e de Ásia andaram devastando,
E aqueles que por obras valerosas
Se vão da lei da Morte libertando,
Cantando espalharei por toda parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.

3
Cessem do sábio Grego e do Troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandre e de Trajano
A fama das vitórias que tiveram;
Que eu canto o peito ilustre Lusitano,
A quem Neptuno e Marte obedeceram.
Cesse tudo o que a Musa antiga canta,
Que outro valor mais alto se alevanta.

Luís de Camões, Os Lusíadas, Canto I



I

1. A que corresponde na epopeia a Proposição?

2. Que pretende o poeta cantar em Os Lusíadas?

3. Identifique o contraste com que se salientam os feitos dos Portugueses.

4. Justifique a referência a Neptuno e a Marte.

5. Diga o que entende por «Ocidental praia Lusitana» e «Musa antiga».

6. Explique a formação das palavras valerosas e alevanta.

7. Faça a análise formal (estrofe, métrica e rima) da estância número 2.

8. Atente nos seguintes versos: «Cesse tudo o que a Musa antiga canta, / Que outro valor mais alto se alevanta».

8.1. Divida e classifique as orações.

8.2. Classifique morfologicamente as palavras da segunda oração.

8.3. Faça a análise sintáctica da terceira oração.


II

Numa composição cuidada, comente os versos «Cantando espalharei por toda parte, / Se a tanto me ajudar o engenho e arte», tendo o cuidado de contrapor a inspiração e o trabalho artístico em Camões, relacionando-os com os ideais clássicos.