11.3.07

Na fonte está Lianor

Cantiga Alheia

Mote
Na fonte está Lianor
Lavando a talha e chorando,
Às amigas perguntando:
- Vistes lá o meu amor?

Voltas
Posto o pensamento nele,
Porque a tudo o amor obriga,
Cantava, mas a cantiga
Eram suspiros por ele.
Nisto estava Lianor
O seu desejo enganando,
Às amigas perguntando:
- Vistes lá o meu amor?

O rosto sobre ua mão,
Os olhos no chão pregados,
Que, do chorar já cansados,
Algum descanso lhe dão.
Desta sorte Lianor
Suspende de quando em quando
Sua dor; e, em si tornando,
Mais pesada sente a dor.

Não deita dos olhos água,
Que não quer que a dor se abrande
Amor, porque, em mágoa grande,
Seca as lágrimas a mágoa.
Despois que de seu amor
Soube novas perguntando,
De improviso a vi chorando.
Olhai que extremos de dor!

Luís de Camões

I

1. Indica o tema e o seu desenvolvimento.

2. Divide o poema em partes, justifica devidamente a tua resposta.

3. Procede ao levantamento dos sentimentos expressos e das sensações sugeridas.

4. Analisa a linguagem e estilo.

5. Faça a análise formal.

6. Considera as duas frases que se seguem. Constrói uma frase complexa que estabeleça uma comparação.
A mentira merece o castigo.
A sinceridade merece o perdão.