11.3.07

Erros meus, má fortuna, amor ardente



Erros meus, má fortuna, amor ardente
em minha perdição se conjuraram;
os erros e a fortuna sobejaram,
que para mim bastava o amor somente.

Tudo passei; mas tenho tão presente
a grande dor das cousas que passaram,
que as magoadas iras me ensinaram
a não querer já nunca ser contente.

Errei todo o discurso1 de meus anos;
dei causa que a Fortuna castigasse
as minhas mal fundadas esperanças.

De amor não vi senão breves enganos.
Oh! quem tanto pudesse que fartasse
este meu duro génio2 de vinganças!

Luís de Camões


1. discurso — decurso.
2. génio - duas interpretações possíveis são apontadas por comentaristas: génio = "...no sentido romano, o outro "eu" que reside em nós"; "duro génio" = "cruel destino".



I

1. O soneto que acabaste de ler pode ser dividido em duas partes lógicas.
1.1. Delimita-as.
1.2. Explicita, numa frase, o conteúdo de cada uma delas.

2. Este soneto abre com uma acumulação.
2.1. Identifica os três termos dessa acumulação.
2.2. Indica os versos em que o sujeito lírico retoma os três elementos dados inicialmente.
2.3. Faz o levantamento do vocabulário de conotação negativa relacionado com os elementos que provocaram "a perdição" do sujeito lírico.

3. O sujeito lírico faz referência a um passado, ao presente e exprime um desejo relativamente ao futuro. Transcreve as formas verbais que documentam a existência destes três tempos

4. À boa maneira petrarquista, o poema termina com chave de ouro.
4.1. Identifica-a.
4.2. Refere-te à importância da pontuação.
4.3. Explica de que forma esses versos sintetizam tudo quanto foi dito nos versos precedentes.

5. Releva as marcas do discurso pessoal que conferem a este soneto um tom autobiográfico.


II

1. Pode-se afirmar que o soneto que acabaste de analisar é uma espécie de síntese da vida do poeta.
Não se pretende que faças uma síntese da tua vida... apenas que penses nela, durante uns momentos, e que selecciones um episódio muito bom ou muito mau. Depois, em forma de diário, relata esse episódio num texto que tenha entre 80 e 100 palavras. Não te esqueças que deves usar o discurso na 1.ª pessoa e prestar especial atenção aos tempos verbais usados e à articulação lógica das diferentes ideias.