3.2.07

Ai flores, ai, flores do verde pino

– Ai flores, ai, flores do verde pino,
se sabedes novas do meu amigo?
ai, Deus, e u é?

Ai, flores, ai flores do verde ramo,
se sabedes novas do meu amado?
ai, Deus e u é?

Se sabedes novas do meu amigo,
aquel que mentiu do que pôs comigo?
ai, Deus, e u é?

Se sabedes novas do meu amado
aquel que mentiu do que mi á jurado?
ai, Deus, e u é?

– Vós me preguntades polo voss' amigo?
E eu ben vos digo que é san' e vivo:
ai, Deus, e u é?

Vós me preguntades polo voss' amado?
E eu ben vos digo que é viv' e sano:
ai, Deus, e u é?

E eu ben vos digo que é san' e vivo
e seerá vosc' ant' o prazo saido:
ai, Deus, e u é?

E eu ben vos digo que é viv' e sano
e s(e)erá vosc' ant' o prazo passado:
ai, Deus, e u é?


El-Rei D. Dinis


I

1. Divida esta cantiga em partes e indique o assunto de cada uma.

2. Identifique o sujeito poético e faça a sua caracterização.

3. Comente o papel desempenhado pelas «flores do verde pino» nesta cantiga.

4. Atendendo a todos os elementos externos, caracterize formalmente o poema.

5. Refira a valor documental das cantigas de amigo.


II

Numa composição cuidada, desenvolva a seguinte afirmação:

«Os nossos trovadores foram fortemente influenciados pelos trovadores provençais: nos temas, como a natureza, o morrer de amor, a tensão permanente, o amor aspiração; nas formas – cantiga de mestria, de finda e de atafinda; dobre, mordobre, etc.; e até em certos vocábulos».